O mundo das palavras: autoconhecimento e relacionamento no livro “Verdade? – porque nem tudo o que ouvimos ou falamos é verdadeiro”

A vitória é como uma espada: ninguém se senta sobre ela. Se parar de se esforçar por se considerar vitorioso, será cortado ao meio (p. 61). As palavras têm muita força para mim, pois podem funcionar como gatilhos para ideias e ações. Muito dessa perspectiva é refletida nos textos que escrevo e em minhas atitudes…

“Ela é sincera… só isso”

Ela era desse jeito, E todos sabiam… Toda cheia do direito, Satisfeita com sua sinceridade, Sempre mostrando a verdade, Aqui e acolá. Ela era desse jeito, Apontando cada detalhe imperfeito, Não importava a quem, Seja estranho ou pessoa de amizade, Ela falava sem dó nem piedade, Valendo-se tão somente de uma falsa honestidade! Ela era…

Uma hora a gente cansa…

Uma hora a gente cansa… De tanta reclamação desnecessária, Para as coisas pequenas, Em situação temporária. Uma hora a gente cansa… Da falta de reconhecimento, E na rotina diária, Da falta de sentimento. Uma hora a gente cansa… De buscar a compreensão, Para achar uma solução, Quando o que se recebe, Só causa inquietação! Uma…

A tal da Expectativa…

Uma projeção… E a representação de uma ideia. Tão simples assim? Antes fosse… A tal da expectativa gera esperança e ilusão, Impulsiona ou magoa o coração, Quando somos conduzidos a acreditar, Que tudo aquilo que pensamos, Um dia vai se concretizar. Como uma discreta semente, Dia após dia e mesmo sem perceber Vamos regando-a, Nunca…

As pessoas não falam mais assim…

Com o tempo cronometrado, Com as atividades do dia a dia, E a necessidade de ganhar dinheiro… Esquecemos tanta coisa… Inclusive… Esquecemos de nos declarar. Em um relacionamento, esquecer de se declarar é um estar junto sem estar… é um doce com sabor de amargo… é um amar pela metade. E sinceramente… amar pela metade…