Curiosidade, vulnerabilidade e vida.

Optar por ser curioso é escolher a vulnerabilidade, porque, para isso, precisamos nos render à incerteza. Mas nem sempre tivemos escolha: nós nascemos curiosos. Com o tempo, entretanto, aprendemos que a curiosidade, assim como a vulnerabilidade, pode causar sofrimento. Então adotamos estratégias de autoproteção – preferimos a certeza à curiosidade, a armadura à vulnerabilidade, o…

A sabedoria budista.

A sabedoria budista nos incita a “lavar os olhos” sempre que vamos encontrar alguém. Lavar os olhos para não tingir o outro com nossos preconceitos. Lavar os olhos para nos libertarmos dos preconceitos até a respeito de nós mesmos. Lavar os olhos porque a realidade às vezes é difícil ou doida de enxergar. Lavar os…

Ficar velho traz perdas.

Ficar velhos traz perdas. Em nossa caminhada pela terra, estaremos sempre perdendo algo. A maioria de nós perde tempo pelo fato de não prestar atenção nas bênçãos que a vida nos oferece a cada dia. Também perdemos cabelo, desempenho, memória, viço, beleza. Perdemos a capacidade de fazer as coisas sozinhos; perdemos liberdade. Também perdemos destreza…

Tecnologia, presença e comunicação.

Nossa necessidade inata de conexão torna muito mais reais e perigosas as consequências da desconexão. Às vezes, apenas supomos estar conectados. A tecnologia, por exemplo, tornou-se uma espécie de impostora de vínculos, levando-nos a crer que estamos conectados quando, na verdade, não estamos – pelo menos não do modo que precisamos estar. Em nosso mundo…

Viver plenamente!

“Viver plenamente é nos engajarmos na nossa vida a partir de uma perspectiva de amor-próprio. Significa cultivar a coragem, a compaixão e a conexão necessárias para acordar de manhã e pensar: Não importa o que seja feito e o que fique faltando fazer, eu sou suficiente. É deitar à noite para dormir e pensar: Sim,…