Segundo encontro…

No primeiro houve intensidade, Fruto de uma sagaz oportunidade, E assim tiveram a liberdade, De finalmente viver a entrega… Onde corpos e bocas, Misturando-se e conduzidos pelo fogo feito de paixão, Dispensaram o equilíbrio da razão, Para numa noite repleta de expectativas, Saborear um mundo de carícias repetitivas! Ah…! o primeiro encontro… Ah…! a alforria…

Qual é a boa da noite?!

Foi andar no meio da multidão, Com os passos lentos e ao sabor da liberdade, Olhar do alto as belezas da cidade, O encontro de cores… a mistura de gente. A boa da noite… Foi respirar cultura e desejo, Ir em busca do desconhecido… Com doses de coragem, Influenciando a imaginação, Com ideias que aparentemente…