Educar sem domesticar

Paulo Freire falava do risco da educação que ele chamava de “bancária”. Obviamente não tem a ver com a profissão de bancário, mas muitas pessoas supunham que, para educar alguém, bastava fazer depósitos sucessivos, como se fosse num banco e no dia da prova se fazia o cheque, que vinha com ou sem fundo. Como…

Somos instinto!

Na leitura de sinais, No movimento delicado, Cedendo cada espaço, A brincadeiras infantis. (Somos instinto!) Em cada laço estreitado… Em cada vontade pulsante, Desejando mais o ser amado, Sempre mais e nunca como antes. (Somos instinto!) As emoções se renovam, Em cada nova experiência, E os meus sonhos, comprovam: É excitação, amor e carência!  …