Curiosidade, vulnerabilidade e vida.

Optar por ser curioso é escolher a vulnerabilidade, porque, para isso, precisamos nos render à incerteza. Mas nem sempre tivemos escolha: nós nascemos curiosos. Com o tempo, entretanto, aprendemos que a curiosidade, assim como a vulnerabilidade, pode causar sofrimento. Então adotamos estratégias de autoproteção – preferimos a certeza à curiosidade, a armadura à vulnerabilidade, o…

A fantasia é a experiência para outras realidades.

O despertar. A atenção. A curiosidade… E se você parar e refletir, tudo começa e se desenvolve sutilmente a partir de mecanismos naturais dessa curiosidade. A curiosidade nos estimula a sair da zona de conforto ao propor ideias que antes eram inconcebíveis, fazendo-nos navegar por realidades que fortalecem a nossa coragem, ousadia e desejo. Uma…

Beijo surpresa!

Intenções guardadas, Desejo inquieto, Imaginação ativa e pulsante, Quando não se tem certeza, Sobre quais são as possibilidades: Será a paixão ou a safadeza, A me deixar assim… com expectativa? Seja fato real ou imaginário, A questão é que um encontro foi marcado, Numa mistura de esperança e curiosidade, Por algo além do extraordinário: Será…

O mundo do cinema: personalidade, conflito e perdão no filme “Dois papas”

Curiosidade. Um ímpeto natural do ser humano diante de situações ou pessoas que, por algum motivo, chamam a atenção. E obviamente, isso acontece também comigo. No final de 2019 vi muitas pessoas próximas a mim falarem bem do filme “Dois papas”, sem contar os comentários e indicações nas redes sociais. De tanto observar as repercussões…

Fábula “A lenda da borboleta azul”

Há muitos anos, um homem ficou viúvo e assumiu total responsabilidade por suas duas filhas. Ele abraçou sua missão com dedicação e cuidou de suas filhas com amor e carinho. As meninas eram muito inteligentes e curiosas, sempre procurando novas coisas para aprender. Todos os dias, elas faziam milhares de perguntas ao pai, e apesar…

Amores de carnaval!

Amores de carnaval, São a mistura do inesperado com a curiosidade, E a vontade malandra para conhecer, Que como batida de música, E na embriaguez que transborda alegria… Vibram na proximidade dos corpos! Amores de carnaval incitam desejo, Provocam para aquilo que nunca antes foi provado, Sem pensar em aparências ou em ser aprovado, Pois…

Segundo encontro…

No primeiro houve intensidade, Fruto de uma sagaz oportunidade, E assim tiveram a liberdade, De finalmente viver a entrega… Onde corpos e bocas, Misturando-se e conduzidos pelo fogo feito de paixão, Dispensaram o equilíbrio da razão, Para numa noite repleta de expectativas, Saborear um mundo de carícias repetitivas! Ah…! o primeiro encontro… Ah…! a alforria…

Ciclos que não se fecham…

São uma amarra para o amanhã, Um tormento para os sonhos, E um eterno lamentar… dia após dia. Ciclos que não se fecham, São assuntos inacabados, Desejos dissimulados… Vontades não saciadas, Oportunidades desperdiçadas… Por não querer passar por uma provação. A garganta trava, A insônia incomoda e é recorrente, E a inquietação começa a fazer…

5 minutos…

É meu passatempo, A brincadeira da imaginação, O frenesi e o tesão, Quando penso o que contigo posso fazer, Em 5 minutos… Os meus instintos quero satisfazer, Quando as ideias flutuam em minha mente, Buscando incessantemente o prazer, Sem controle e sem medida. Na mão… no cheiro…na lambida! Ah… coragem que me invade…! Ah… bom-senso…