Entender e explicar.

Quem dá aula já ouviu com frequência expressões “professor, eu entendi… mas não sei explicar” ou “eu entendi, mas eu não sei contar”. E aí nós somos obrigados a dizer algo que vale no mundo do conhecimento: só é capaz de dizer que de fato aprendeu algo aquele que também consegue explicar. Alguém que algo…

Acomodação!

Há vários momentos na vida em que nos acomodamos com o que já sabemos, com o que conhecemos, com a educação no patamar em que se encontra. Isso é muito perigoso, porque em muitas situações significa se conformar, ficar aprisionado num determinado tempo, numa determinada maneira de pensar e fazer. Essa acomodação induz ao envelhecimento…

Felicidade como liberdade para recusar

A ideia de felicidade acolhe a percepção de algo que podemos ter, vivenciar como possibilidade de propriedade, e daquilo que me possui por um sentimento, por algo que me ofereceram. Quase sempre a ideia de felicidade vem como presença, raramente nos vem como possibilidade de ausência. O pensador genebrino Jean-Jacques Rosseau dizia: “a espécie de…

Hábitos!

Nós, do campo do estudo, da Ciência, da Epistemologia, que é a própria teoria da ciência, nos dedicamos a olhar o quanto que o hábito pode obscurecer a nossa capacidade crítica. As coisas feitas por um hábito podem ficar privadas da capacidade crítica, de reflexão, de peneirar o que serve e o que não serve…

Educar sem domesticar

Paulo Freire falava do risco da educação que ele chamava de “bancária”. Obviamente não tem a ver com a profissão de bancário, mas muitas pessoas supunham que, para educar alguém, bastava fazer depósitos sucessivos, como se fosse num banco e no dia da prova se fazia o cheque, que vinha com ou sem fundo. Como…