O mundo das palavras: vida, maturidade e busca pelo autoconhecimento no livro “Quem me roubou de mim?”

Um livro curto e cheio de ótimas reflexões.

Confesso que no início achei um pouco monótono; contudo, na medida que fui me permitindo avançar no livro “Quem me roubou de mim? – o sequestro da subjetividade e o desafio de ser pessoa”, fui descobrindo reflexões necessárias.

O autor do livro, Pe. Fábio de Melo, tem uma escrita leve, bastante clara, e que envolvia exemplos e reflexões que nos provocam a questionar a situação atual. Fábio traz no contexto inicial a abordagem de sequestro: situações ao longo da vida em que perdemos nossa identidade, coragem e também o amor-próprio.

O sequestro pode ser tanto físico quanto psicológico, e afeta a maneira como nos vemos e como nos relacionamos com os outros. São migalhas de afeto, dependências viciosas ou violências veladas que acorrentam a nossa alma e gradativamente vão trazendo uma dor para a nossa existência.

Algumas perguntas que Pe. Fábio faz no livro:

– Dos relacionamentos que você já teve, quais foram as ocasiões em que verdadeiramente você foi modificado para melhor?

– Será que você é lembrança doída na vida de alguém?

– Será que já idealizou demais as situações, as pessoas e por isso perdeu a oportunidade de encontrar as situações e as pessoas certas?

São tantas as provocações que você certamente vai se ver em algumas delas. O livro ainda traz reflexões com os seguintes pontos: a condição de vítima; relações que sequestram; depois do cativeiro, o aprendizado; entre o desejo e o prazer; o mito do amor romântico; e superando as idealizações. Algumas citações publiquei no Instagram do blog (@pensebem.blog) e outras deixo aqui para você:

“Amar é antes de tudo conhecer”.

“Relações saudáveis são relações que nos devolvem a nós mesmo, e o melhor, devolvem-nos melhorados”.

“Seu mundo diminui ou se dilata com o amor?”

“Amores cegos podem nos conduzir ao caos”.

“O que legitima a violência é a autoridade que entregamos ao agressor”.

“Torna-se pessoa é aventura constante de busca, e o resultado dessa busca é a disposição de si”.

“Pequenas permissões abrem espaços para grandes invasões”.

“O medo do erro nos neutraliza as forças e não nos permite ir além de nosso pequeno mundo”.

Por Ricardo Verçoza – Professor e escritor.

Siga o blog nas redes sociais!

Instagram: @pensebem.blog

Facebook: blog.pensebem

Twitter: @Blog_PenseBem

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.