O excesso de crítica mata, mas antes tortura.

O excesso de crítica é a maneira mais lenta de morte, pois pode ocorrer todo dia…a qualquer momento ou hora.

Muitas vezes nós não damos conta, acreditando ser maluquice dos pensamentos ou fruto de uma impressão aparentemente errada.

Esse excesso não é bobagem, como o indivíduo crítico pode pensar…

Porque tudo o que dilacera a alma e a vida não pode ser considerado uma bobagem.

O excesso de crítica é resultado do indivíduo que se apega a um ideal de perfeição: objetos com seus respectivos lugares…sentimentos adequados para determinados momentos…comportamentos previamente definidos.

E esse ideal de perfeição é aliado do “julgamento prévio”, que conduz o indivíduo a vomitar seus “achismos” sem antes perguntar…sem antes buscar entender.

É uma situação fácil que o indivíduo crítico se encontra: por acomodação, desatenção ou falta de maturidade, ele(a) olha para o outro só esperando identificar aquilo que lhe desagrada e que está fora daquilo que chama de ideal de perfeição.

O indivíduo crítico gasta energia desnecessária com pequenas coisas…com pequenos fatos…e se irrita com situações quando deveria ter como resposta a leveza e a descontração.

O excesso de crítica é a maneira mais lenta de morte, mas antes existe muita tortura.

Tortura o amor…

Tortura o desejo de estar perto…

Tortura a vontade de querer bem…

Tortura as boas emoções do outro…

Tortura a pretensão de querer fazer um bom trabalho…

A desculpa para esse excesso de crítica é “eu sou uma pessoa difícil…complicada”.

Isso não justifica, nem muito menos legitima essa maneira de ser.

Vai chegar um tempo em que o outro não vai ligar mais…não vai suporta mais…não vai querer estar perto…pois não faz mais sentido compartilhar o tempo da vida com alguém que tudo critica.

Em algumas situações, o excesso de crítica consome tudo o que há de bom, deixando apenas o pior do outro.

Acredito que só existem dois caminhos: ou todo mundo vira crítico, ou alguém vai ficar sozinho.

Por Ricardo Verçoza – Professor e escritor.

Instagram: @pensebem.blog

Facebook: blog.pensebem

Twitter: @Blog_PenseBem

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.