Retrospectiva dos livros lidos em 2021!!

É meus amigos e minhas amigas…2021 foi mais um ano MUITO louco! A pandemia não deu sossego para ninguém…e agora nós temos também a gripe. Junta-se a isso uma rotina de trabalho cheia de transformações, cuidados a um filho autista e a constante necessidade de limpar a casa (nunca lavei tanto prato na minha vida). Eu não sei você, mas a melhor palavra que pode descrever o meu ano de 2021 foi “sobrevivência”.

Sendo sincero com você, não consegui me organizar direito para completar minha meta de leitura, que era de 24 livros. Ainda assim consegui ler 21 livros, alternando entre livro físicos e do Kindle – e confesso que as leituras digitais foram a maioria. Compartilho agora com você os livros que li em 2021:

1 –Pare de se sabotar e dê a volta por cima, de Flip Flippen”: o autor vem apresentando comportamentos que muitas pessoas tem e que gera uma autossabotagem. Perceber esses comportamentos contribui na tomada de consciência sobre si, reinventando a relação consigo mesmo (a).

2 – “Inovação na prática – design thinking e ferramentas aplicadas a startups, de Sanmya Tajra e Joana Ribeiro”: as autoras apresentam um livro com uma fluidez fantástica! Tratam do conceito de inovação, invenção…tipos de inovação e seus impactos socioeconômico, empresas baseadas em inovação, design thinking e o desenvolvimento de projetos inovadores.

3 – “O caminho do artista – desperte seu potencial criativo e rompa seus bloqueios, de Julia Cameron”: a autora tem uma escrita leve e convida a quem lê desenvolver seu potencial criativo. Muitos ainda acreditam que a criatividade é genética ou somente associada a pessoas que trabalham com arte. Na verdade, qualquer pessoa pode desenvolver a criatividade e entender como os estímulos certos podem te ajudar no dia a dia.

4 – “Mais forte do que nunca – caia, levante e tente outra vez, de Brené Brown”: a autora já se tornou conhecida por falar sobre vulnerabilidade, e se você não leu algum livro dela, sugiro que o faça rapidamente! Brené aborda a importância da vulnerabilidade e de reconhecer as próprias histórias, nos faz perceber como limites e generosidade podem fazer a diferença da vida, e como tratar o passado e o presente de uma maneira saudável.

5 – “Epifania, de Louise Melo”: um livro em tom pessoal, curto…e um desabafo.

6 – “Esse não é um livro de amor – desabafos em forma de textos e poesia”: Depois de passar por um relacionamento abusivo, há alguns anos atrás, a autora decidiu escrever sobre suas dores e lutas, para alertar às mulheres sobre os abusos que estamos diariamente sujeitas a sofrer. Em forma de pequenos textos e poesia, ela busca se aproximar de suas leitoras e mostrar que nenhuma mulher está sozinha.

7 – “Todos se comunicam, poucos se conectam, de John C. Maxwell”: o autor busca apresentar os princípios e as práticas da conexão de empreendedores, além da própria experiência em se comunicar com o público. Segundo o autor, as habilidades pessoais para promover mudanças e gerar resultados em qualquer organização devem estar ligadas ao uso da capacidade de fazer conexões produtivas e duradouras com as pessoas.

8 – “Coisas quem vem de dentro, de Louise Melo”: a autora traz muito de suas inquietações neste livro. Nas palavras dela “Eu sinto que é mais fácil me curar das coisas que vêm de fora do que das que vêm de dentro”.

9 – “Mostre seu trabalho – 10 maneiras de compartilhar sua criatividade e ser descoberto, de Austin Kleon”: Apostando mais na autodescoberta do que na autopromoção, o livro é um manifesto inspirador para o sucesso como artista ou empreendedor na era digital. Repleto de ilustrações, citações, histórias e ótimos exemplos, ‘Mostre seu trabalho’ oferece dez regras transformadoras para que sejamos mais abertos, corajosos e produtivos. O autor traz tópicos como de focar no processo e não produto, a importância de contar boas histórias, e de aprender com os erros.

10 – “Ao fogo, de Laura Hirayama”: “Ao fogo” é sobre renascer. Sobre amar e deixar ir. Sobre estar perdido e se reencontrar. Sobre desencantos e desilusões, mas também sobre portos seguros e cicatrizes que se fecham. Acima de tudo, “Ao fogo” é sobre queimar — e sobre sair intacto de dentro das chamas.

11 – “Sejamos todos feministas, de Chimamanda Ngozi Adichie”: O que significa ser feminista no século XXI? Por que o feminismo é essencial para libertar homens e mulheres? Eis as questões que estão no cerne de ‘Sejamos todos feministas’, ensaio da premiada autora de ‘Americanah’ e ‘Meio sol amarelo’. Uma leitura rápida que vale a pena.

12 – “A arte da prudência, de Baltasar Gracián”: o livro traz uma série de dicas de como você poderia encontrar o equilíbrio e viver com mais prudência.

13 – “Originais, de Adam Grant”: o autor busca desmistificar muitas das crenças que existem em torno das mentes criativas. Ele recorre a uma série de estudos e histórias reais envolvendo o mundo dos negócios, a política, os esportes e o universo do entretenimento para mostrar como qualquer pessoa pode aprimorar sua criatividade, tornar-se capaz de identificar e defender ideias verdadeiramente originais, combater o conformismo e romper com tradições obsoletas.

14 – “Mentes únicas, de Luciana Brites e Dr. Clay Brites”: o livro trata sobre o autismo…um assunto que eu já queria a um tempo me aprofundar devido ao fato de meu filho ser um autista. O livro é breve e sem muita profundidade, mas recomendo para quem quiser conhecer mais sobre o autismo. No livro você encontrará tópicos como o autismo foi descoberto, quais são as pesquisas atuais sobre o assunto, como o cérebro de uma criança autista funciona e quais são as melhores abordagens e práticas no dia a dia.

15 – “Cidades e soluções – como construir uma cidade sustentável, de André Trigueiro”: o livro é carregado de provocações – no bom sentido, claro. André, que é jornalista especializado em gestão ambiental, pegou sua experiência e os casos apresentado no programa de televisão de mesmo nome, para abordar de forma objetivas temas ainda negligenciados por muitos governos: urbanização, sustentabilidade, transportes, tratamento de água, entre outros. Rico em casos, você terá um panorama no que é feito e também do que poderia ser feito.

16 – “Como se defender de manipuladores – estratégias eficazes para evitar que as pessoas se aproveitem de você, de Yves-Alexandre Thalmann”: o autor propõe ajudar você a identificar as estratégias de manipulação mais comuns e a se defender daqueles que tentam influenciar suas decisões. Com explicações simples e exemplos variados, o autor apresenta as ferramentas de comunicação necessárias para você enfrentar as tentativas de controle e mostra como essa postura pode melhorar suas relações interpessoais.

17 – “A arte de ser imperfeito – abandone a pessoa que você acha que deve ser e seja você mesmo, de Brené Brown: a autora nos encoraja a questionar a necessidade crônica de perfeição e nos mostra que aceitar nossas vulnerabilidades é o melhor caminho para relações mais próximas e uma vida significativa. Através de sua sólida pesquisa e de emocionantes histórias, ela mostra como podemos nos libertar do perfeccionismo, da vergonha e do medo através das seguintes práticas: a coragem de ousar, a compaixão de nos perdoar, a conexão com as pessoas que amamos.

18 – “Histórias lindas de morrer, de Ana Cláudia Quintana Arantes”: Ana é médica com especialização em cuidados paliativos, e traz no livro um conjunto de relatos sensíveis sobre o momento final de algumas pessoas (e também a própria Ana) lidam com esta realidade inevitável do ser humano. Dor…alegria…segredos…celebração…mas acima de tudo, cuidado. É dessa forma como posso descrever a maneira como Ana aborda a questão da morte neste livro. Uma leitura extraordinária!!

19 – “Cartas a um jovem poeta, de Rainer Maria Rilke”: o livro apresenta a troca de correspondências entre dois amigos sobre os mais diversos temas.

20 – “Mundo singular – entenda o autismo, de Ana Beatriz Barbosa Silva, Mayra Bonifácio Gaiato, e Leandro Thadeu Reveles”: é um livro sobre a visão de mundo, os desafios, o brilhantismo e os tratamentos, e as perspectivas futuras de crianças com autismo. Os autores descrevem os sintomas, o diagnóstico, a visão da família, a visão da escola, os tratamentos, e as variações dessa condição. Com uma linguagem que busca ser acessível e relatos de casos reais, este livro pretendo ser um guia para informar e tranquilizar pais, professores e familiares em busca de informações cientificamente embasadas sobre o autismo no Brasil.

21 – “Design Thinking – uma metodologia poderosa para decretar o fim das velhas ideias, de Tim Brown”: este livro é recheado de casos e situações que reforçam como o design thinking pode ser uma ferramenta para contribuir com o surgimento de novas ideias. O autor não traz uma explicação clara/direta sobre o que é o design thinking ou suas etapas, o que eu achei um coisa ruim. Recomendo o livro para aqueles e aquelas que já tem um conhecimento prévio sobre o tema.

Bem…eis um pouco dos livros que li em 2021. Muitos deles eu não fiz resenha aqui para o blog. Mas irei postar! Agradeço a sua atenção se você chegou até aqui. Neste ano de 2022 vou me dedicar mais as leituras, e espero ter você comigo. Grande abraço!!

Por Ricardo Verçoza – Professor e escritor.

Siga o blog nas redes sociais!

Instagram: @pensebem.blog

Facebook: blog.pensebem

Twitter: @Blog_PenseBem

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.