Movimentar a vida é necessário!

Às vezes a vida entra num estado inconsciente,

Onde não conseguimos perceber os fatos,

E dar atenção as pessoas…

Como se fôssemos um passageiro da própria existência.

O tempo passa e deixa suas marcas,

Algumas físicas…

E outras tantas psicológicas,

E a gente não se dá conta,

De como as coisas mudaram.

Olhar com otimismo,

E também com bondade,

Permite entender com empatia,

Tudo o que vivemos em nossa realidade.

Dizem que vivemos apenas uma vez…

Mas prefiro a ideia,

De que vivemos várias vezes,

Com inúmeras pessoas (e amores),

Em vários ambientes,

Com momentos inesquecíveis e intensos,

E outros breves e com enorme significado.

Movimentar a vida é reconhecer a sua beleza,

Aceitar as dores e as vulnerabilidades…

É deixar de ser um passageiro para assumir a responsabilidade,

Da pessoa que você é e que pretende se tornar.

A impressão que eu tenho,

É que tudo em nossa existência,

Se baseia em instantes:

O que agora é presença,

Logo em seguida pode ser saudade…

O que é excitação,

Logo em seguida pode ser uma lembrança.

Movimentar a vida é valorizar pequenos e grandes detalhes,

Como cada segundo fosse importante,

Para aproveitar e saborear,

Tudo o que for possível.

Não deixe de viver sua essência.

Por Ricardo Verçoza – Professor e escritor.

Siga o blog nas redes sociais!

Instagram: @pensebem.blog

Facebook: blog.pensebem

Twitter: @Blog_PenseBem

Um pensamento sobre “Movimentar a vida é necessário!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.