Pandemia, mudanças e inovação: a empresas não estão preparadas.

O mundo está, de fato, complexo.

A realidade que nós estamos vivendo atualmente é extremamente inédita. Dentro do planejamento realizado (provavelmente) para 2020, ninguém esperava encontrar uma situação que afetasse tanto o alcance dos objetivos traçados como esta gerada pela Covid-19. Pois é. Geralmente é assim mesmo, já que os planos podem ser afetados (positiva e negativamente) por variáveis externas, mas confesso que está sendo demais para todo mundo. Você concorda?

Se antes da Covid-19 muito se falava da necessidade de mudança, já que segundo Murilo Gun não estamos vivendo uma era de mudanças, mas sim uma mudança de era (muito devido aos avanços e inovações em diversas áreas), agora mergulhamos de vez neste universo – até porque, não temos escolhas. A questão é o grau de assimilação das pessoas sobre essa necessidade de mudança, porque vamos voltar a rotina, mas não do jeito que era, nem com a normalidade que talvez algumas pessoas esperam.

Muita coisa está mudando…muita coisa ainda vai mudar. Eu não sei você, mas já ouvi a seguinte expressão “Olha…você tem que mudar senão vai perder o bonde da história”. A ideia era sinalizar que eu deveria estar atento ao que me acontece, caso contrário não iria fazer parte da história. Bem, a história hoje caminha como uma montanha russa, ou melhor… como um trem bala, e quando menos se perceber, vamos estar fora de contexto e em um tempo que não vai voltar mais. Mas calma…sem desespero. Essa maneira de olhar para o que nos acontece é para despertar em nós, seres humanos, a necessidade de estar em sintonia com o contexto que vivemos, buscando na inovação a fonte de sobrevivência neste mundo complexo.

E quando se trata das empresas, posso afirmar que elas NÃO estão preparadas – e antes que você possa me achar convencido, eu explico. A primeira perspectiva da minha afirmação é que, de fato, nenhuma empresa poderia prever as repercussões econômicas desta pandemia, pois nenhum cenário é 100% compreendido, este muito menos. A segunda perspectiva aprofunda um pouco a primeira, a partir do momento que escancara as fragilidades de gestão de algumas empresas. Não estar preparado, de certa forma, é até compreensível devido à complexidade do que é enfrentado por todos nós, mas não justifica a demora na capacidade de resposta.

O cenário atual requer de pequenos, médios e grandes empreendedores/empresários uma resposta baseada em INOVAÇÃO – isso é imperativo! Só que as experiências que eu estou tendo como cliente me faz perceber que MUITAS empresas ainda não perceberam o contexto que estamos e que os hábitos dos consumidores estão mudando e ainda vão mudar muito. Eu percebo que a postura é de letargia… de lerdeza… de incompreensão e erros bobos. Não estamos mais tratando de tendências ou algo distante, mas de uma realidade que já está na nossa porta.

Inovar para sobreviver… inovar para se manter… inovar para crescer!

Por Ricardo Verçoza – Professor e escritor.

Siga o blog nas redes sociais!

Instagram: @pensebem.blog

Facebook: blog.pensebem

Twitter: @Blog_PenseBem

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.