O mundo das palavras: liberdade, autenticidade e vida no livro “A sutil arte de ligar o f*da-se”

A vida de muita gente segue um roteiro, com início meio e fim já determinado, dando a quem segue uma tranquilidade e segurança quanto ao caminho a ser percorrido. Esse roteiro foi copiado de nossos pais, que por sua vez copiaram de nossos avós (…), e seu intuito é evitar quaisquer problemas e inconvenientes – até porque ninguém gosta de ter que lidar com isso. Essa dinâmica ainda funciona para muita gente, mas para outras pessoas essa maneira de levar a vida pouco a pouco está se tornando insatisfatória.  

Relações se tornam frágeis… valorizamos futilidades… sonhos são submetidos aos interesses e vontades de outras pessoas. Até quando?! Eu creio que em determinados momentos devemos ler ou ouvir coisas que nos façam questionar o status quo, forçando-nos a pensar e repensar aspectos superficiais de nossa vida, redirecionando nossos esforços para realmente entendermos as oportunidades de aprendizados. Posso sugerir para você, dentro dessa perspectiva, o livro “A sutil arte de ligar o f*da-se – uma estratégia inusitada para uma vida melhor”.

“Pessoas indiferentes têm medo do mundo e da repercussão de suas escolhas (p. 23).”

Antes que você possa fazer uma cara de surpresa e dizer “sério?!”, deixe-me explicar. Mark Manson, o autor do livro, traz mensagens que beeeeeeem lá no fundo todo o ser humano sabe quais são: problemas vão sempre existir, então aprenda com eles; valores ruins nos conduzem para a dor e sofrimento; todo mundo começa medíocre, mas com dedicação pode alcançar a excelência. A essência do ligar o foda-se é encarar os desafios mais assustadores e mais difíceis da vida e agir.

A questão é que nem todo mundo sabe disso, ou sabe mas não tem coragem – e desta forma é mais fácil assumir um papel de vítima do destino (ou do mundo) do que encarar a realidade de frente.  Alguns dos tópicos abordados por Manson são: felicidade, o mito de que somos especiais sem esforço, o valor do sofrimento, fracassar é seguir em frente e a importância de dizer não.

“O arrogante forma uma bolha narcisista ao redor de si mesmo, distorcendo todo e qualquer evento para manter a retroalimentação. Pessoas arrogantes têm apenas duas formas de ver os acontecimentos da vida, ambas relacionadas a sua grandeza: reafirmação ou ameaça (p. 55).”

Conversando com um aluno, o mesmo afirmou que o livro não traz nada de novo, e que sua mensagem é puramente motivacional – o que eu concordo em parte. Manson, como eu já afirmei, não traz nada de novo, mas talvez por isso seu livro faça tanto sentido. Estamos tão apegados aquele “roteiro” anteriormente citado que não saboreamos a liberdade da própria vida, não somos autênticos em nossos relacionamentos e, por vezes, vivemos regras tolas de outras pessoas. Ligar o foda-se permite assumir o controle da sua vida, entendendo que vamos passar pela dor, mas que também teremos momentos de delícia a desfrutar.        

“Pessoas com limites fortes não tem medo de chiliques, discussões e tristeza (p. 192)”.

Deixo o link do livro para você baixar, caso tenha interesse >> https://www.4shared.com/web/preview/pdf/jHL9NtLQiq? . Compartilha comigo o que você achou… e se realmente se trata de um livro com mensagem motivacional vazia ou é algo a mais!

Paz e bem.

Por Ricardo Verçoza – Professor e escritor.

Siga o blog nas redes sociais!

Instagram: @pensebem.blog

Facebook: blog.pensebem

Twitter: @Blog_PenseBem

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.