Na superficialidade não experimentamos a vida

Quanto tempo você passa conectado?

Com quais pessoas você tem conversado ultimamente?

Qual foi a última viagem que você fez?

Existe tanta coisa para perguntar…

Tanta coisa para fazer;

Sorrir, chorar…cair e levantar,

Extraindo cada gota de prazer,

Pois da minha vida eu sou o protagonista,

E não um mero passageiro.

Perguntas doidas que cercam meus pensamentos e no meu dia a dia, observando as pessoas em seu modo de vida e em suas relações. A impressão que tenho é que as pessoas têm medo da experiência… da entrega… de se comprometer por inteiro. No mundo de Baumam, líquido e predisposto a ser moldado, de mudanças e fluidez constantes, só estamos dispostos a estar na superficialidade das certezas e da tranquilidade do que é mais fácil.

Negamos o medo que corre entre as mãos…

Nos contentamos com o pouco,

Não querendo ser o louco,

Ou o diferente do padrão,

Então…

Fingimos a alegria,

Mascaramos a euforia,

Demonstrando numa falsa sabedoria,

Que sabemos sim viver. Será?!

Para sentir a experiência é necessário mergulhar fundo, superar o quê ou quem limita as possibilidades de descobertas e respirar com tamanha intensidade que seja possível perceber a energia sendo trazida pelo oxigênio.

E o título do último livro que leu, qual foi?

Por que você não usa aquela camisa?

O que te impede de seguir?

Eu não quero impedir minha voz,

Nem prender meu coração,

Pois sigo com uma determinação:

De constantemente aprender,

Tendo as minhas emoções como professora;

Para jamais me esconder,

E minhas cicatrizes como inspiração,

Para me fazer viver além da lógica e da razão.

Na superficialidade não experimentamos a vida… porque muitas vezes não oferecemos o nosso melhor e não estamos predispostos para a intensidade.

Na superficialidade não experimentamos a vida… porque viver envolve doação, fé e poesia.

Na superficialidade não experimentamos a vida… porque estamos carente de significado para quem somos.

Veja muito mais do que a superfície!

Paz e bem.

Por Ricardo Verçoza – Professor, escritor e mestrando em Indústrias Criativas.

@CapitaoCoragem

2 pensamentos sobre “Na superficialidade não experimentamos a vida

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.