Esse tal cheiro no cangote…

TEXTO DAS ANTIGAS…. POIS RECORDAR TAMBÉM É VIVER!

Você já sentiu um cheiro no cangote, também conhecido como cheiro no pescoço?

Para mim é uma das coisas mais doidas e gostosas que o ser humano pode sentir… tão simples, fácil e sublime… com um poder de me tirar do sério de uma maneira sensacional que fica impossível resistir… E, para quê resistir, não é verdade?!

Esse tal cheiro no cangote é realmente uma coisa fascinante.

É suspiro e é amor, e não faz muita cerimônia para me invadir quando a cabeça levemente se inclina a sua espera.

Cheiro no cangote é batida de música,

É impulso da carne que inspira o desejo, em cada fração de arrepio que circula pelas células do corpo…

E é brincadeira que acelera o coração, num pulsar tão intenso que não consigo segurar minha excitação…

Cheiro no cangote é respiração ofegante…

Quando encolho os ombros num movimento involuntário e fecho os olhos para viver melhor a sensação… E que sensação!

Cheiro no cangote é um alucinógeno natural,

Aquele tipo de remédio que alivia o estresse, tira a tensão e me dá tesão,

Relaxa a alma como a chegada do verão, que pouco a pouco aquece…inspira… provoca.

Cheiro no cangote é uma viagem…

Que traz aquele friozinho na barriga, uma sensação de inesperado… e quando começo a aproveitar, sou tomado por uma festa que mistura silêncio e sussurro, troca de olhares e uma envolvente sinceridade.

Cheiro no cangote é armadilha saudável para o coração.

É um exercício de paciência e autocontrole quando ela segura minha cabeça e vai dando pequenos cheiros… e de tão gostoso, posso sentir o calor de sua boca.

(mas eu não consigo me segurar: puta que pariu!)

Cheiro no cangote é fome…

Que me devora sem piedade, pois anuncia a vontade de tirar a roupa e misturar os corpos… como se o êxtase quisesse ser liberado por inteiro!

Cheiro no cangote é arma secreta de filme de espionagem…

Daquelas que provocam as mais intensas cenas de ação, e chega em alguns momentos a mexer com a imaginação…

Cheiro no cangote é sinal de trânsito…

Que quando o sinal está verde eu simplesmente deixo o fluxo seguir no embalo dela… na pegada dela. Quando o sinal fica amarelo, eu presto mais atenção e não quero reduzir a velocidade que esse carinho tem… e, jamais observo o sinal vermelho. Sabe por que? Porque nunca vou querer parar aquilo que me faz bem.

Cheiro no pescoço…

Cheiro no cangote…

Xêru no cangote…

Só há uma chance para viver.

Aproveite um cheiro no cangote!

Por Ricardo Verçoza – Professor, Administrador e futuro jornalista.

@CapitaoCoragem

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.