Eu tenho medo… mas estou aqui.

Quando as paisagens ainda são estranhas,

E não tenho intimidade com as pessoas,

Tudo soa diferente e excêntrico,

Palavras, expressões e comportamento…

E por isso andando vou,

Procurando minha identidade perdida.

Cores, sotaques… brisa e mar,

Se antes eu reconhecia,

Ruas e povo com sua alegria,

Agora observo vielas e sinais,

Quieto e buscando a serena paz,

De quem contempla o novo…

Na incerteza do que esperar.

Eu tenho medo, mas estou aqui.

Tem uma parte de mim que é rebeldia,

Que não se tranquiliza nem se controla,

E no corpo respira ousadia,

Do tempo em que fui,

E que talvez jamais serei…

Já outra parte sugere que eu siga admitindo,

Simulando e também coexistindo,

Não se importando com os conflitos,

E quem sabe um dia,

Tenho que parar de cantar…

Mas posso eu, um meio termo encontrar?!

Eu tenho medo, mas estou aqui.

Falação. Contradição. Anunciação.

Nas relações, suas fragilidades,

Pessoas, dilemas e verdades,

Num tumulto de sentimentos

Às vezes somente puro fingimento,

Com uma história sem fim,

Tudo o mais e eu aqui, enfim…

Coisas fúteis e pequenas,

Viram chateação e aborrecimento,

Afetando o pobre discernimento,

Do que sinceramente importa,

Na rotina de uma vida simples…

Nos resta somente ter,

Uma fiel expectativa,

Sem a esperança comprometer.

Eu tenho medo, mas estou aqui.

Parece ser fácil ficar sempre alegre,

Conduzir tudo com doses de leveza,

Buscando incansavelmente,

O vigor… a bondade… a beleza!

O que muitos não percebem,

Por mais que deliberadamente,

Procurando a cordialidade eu esteja,

E que o aborrecimento aparece,

E nem sempre com facilidade desaparece,

Porque muitas são as situações,

Onde o cansaço toma conta,

Onde a bondade se percebe como trouxa,

E a ironia se liberta e apronta!

Ora!

Eu tenho medo, mas estou aqui.

A mudança que se espalha pela vida muitas vezes não deixa escolha sobre qual caminho seguir. O que posso fazer? É simplesmente dar o primeiro e o segundo passo… não esquecer de orar, para agradecer e para pedir orientação… Porque diante do que vejo, as palavras são pensadas numa rapidez de causar terremotos, mas devem ser ditas com a serenidade de um ser humano que busca ser melhor do que foi ontem. Peço forças…pois não é fácil. Estou aqui neste espaço… Estou aqui compartilhando… (até quando?!)

Eu tenho medo, mas estou aqui.

 

Paz e bem.

 

Por Ricardo Verçoza – Professor, escritor e mestrando em Indústrias Criativas.

@CapitaoCoragem

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.